google-site-verification: googlefa9ba11b2f247c5f.html
 
  • Reynaldo Zani

‘Whole Foods Market’ aponta 10 principais tendências de produtos e conceitos para 2022

Atualizado: 28 de jul.




Desde 2013, a rede americana Whole Foods, reúne uma equipe de mais de 50 pessoas (incluindo fornecedores locais, compradores regionais, globais e especialistas em culinária), para o estudo que resulta em uma lista de tendências futuras de alimentos e bebidas intitulada de “Conselho de Tendências”.

A importância deste estudo se dá pelo fato da rede ter se tornado a maior “autoridade” no varejo dos Estados Unidos quando o assunto envolve: Fornecedores Locais, Produtos Naturais e Orgânicos, Produtos Plant Based, Nutrição Funcional e outros conceitos atuais relacionados a cadeia produtiva e a forma como as pessoas se alimentam.


Segundo a rede, o estudo do ano passado foi fortemente influenciado pelas mudanças de hábitos relacionadas á pandemia, entre elas o aumento do tempo de permanência das pessoas em casa.

Este ano, no entanto, a pesquisa voltou a indicar a priorização das pessoas para produtos alimentícios e bebidas que proporcionem benefícios adicionais, que apoiem ​​a sensação de bem-estar e que tenham sua origem atrelada as questões sociais e ambientais.

O estudo também indica a tendência de sabores, ingredientes e conceitos que devem ganhar força no decorrer do próximo ano.

Considerando a eficiência atual da comunicação, a tecnologia, e o momento que vive o mercado de alimentação, não dá mais para dizer que tendências indicadas em mercados de expressão como o americano, não possam servir como inspiração ou subsídio para profissionais e empreendedores do Food Service de qualquer outra parte do mundo.


1- Agricultura “ultraurbana”

A agricultura em regiões urbanas tem crescido em todas as grandes cidades do mundo, particularmente as realizadas em pequenos espaços atribuídos a pequenos produtores locais. Conceitos produtivos como: Hidroponia (o cultivo sem solo) e aquaponics ( combinação de produção de peixes e plantas) estão ganhando força e aproveitando a demanda por parte dos consumidores que buscam qualidade, saudabilidade e isenção de agrotóxicos.

2- Grãos “que retribuem”

O consumidor está valorizando cada vez mais a origem e a forma como os alimentos são produzidos. Produtos cultivados com processos agrícolas que contribuem com a saúde do solo tem sido priorizados e procurados, com destaque para categorias como: massas, cereais e cervejas.

3- Reducitarianismo

Se você é alguém que diminuiu o hábito de consumo de produtos de origem animal, pode não saber, mas é considerado um reducitarianista. O Reducitarianismo é a prática de reduzir o consumo de carne, laticínios e ovos sem cortá-los completamente, optando por produtos de origem vegetal para compor a maior parte da dieta. Produtos “plant-based” e os que certificam a forma como os animais são tratados, tem sido alvo dos consumidores adeptos a este movimento.

4- Drinks Prontos não Alcoolicos

A categoria dos Spirits sem álcool teve crescimento recorde nas lojas Whole Foods em 2021 e não devem ter a procura reduzida tão cedo. Receitas exóticas e combinações clássicas a base de gim, rum e tequila, sem álcool e prontas para beber, devem ganhar muito espaço no próximo ano.

5- “Borbulhantes” nutritivos Quatro anos atrás, a Whole Foods incluiu as chamadas “bebidas mais chiques, espumantes e não alcoólicas” em sua lista de tendências de consumo. Este ano o estudo indicou especificamente os refrigerantes e tônicas com variações de sabores frutados e a presença de elementos probióticos, tônicos e botânicos. Os sabores que já estão presentes nas prateleiras para esta categoria são: limão com morango, limão com gengibre, hortelã com pepino e Laranja Vermelha.

6- Sementes de Girassol

Por décadas, a manteiga de girassol tem sido uma alternativa para pessoas com alergia a nozes ou a amendoim. Mas em 2022, os produtos à base de sementes estão se expandindo para além disso. Aplicações em biscoitos, sorvetes e queijos cremosos são exemplos evidentes disso.

7- Moringa

a árvore nativa da Índia e de outras partes do sudeste da Ásia, que é utilizada nestas regiões por suas propriedades medicinais, vem ganhando força nos Estados Unidos de acordo com o relatório da Whole Foods. Pode ser encontrada em pó e adicionada a smoothies, molhos e assados. Também está aparecendo em produtos inesperados, como sobremesas congeladas, barras de proteína e misturas de grãos.

8- Cúrcuma

Você provavelmente já se apaixonou por alguma receita com este ingrediente. “O tempero dourado“, no entanto, está se enraizando como ingrediente em alimentos embalados, como cereais, sanduiches e até sorvetes “plant-based”, indica o relatório Whole Foods.

9- Yuzu

Yuzu é um tipo de tangerina, com “tons” cítricos azedos, cultivada principalmente no Japão, Coreia e China, e está ficando bastante popular nos Estados Unidos. Chefs renomados tem utilizado seu sabor para diferenciar suas sopas, legumes, pastas e peixes, indica o estudo. Nas prateleiras o produto já é encontrado em vinagretes, condimentos e versões de maioneses.

10- Hibisco

O hibisco já brilha há algum tempo em coquetéis, por isso não é surpresa que esteja aparecendo na seção de bebidas em águas aromatizadas e cidras. O produto passou a aparecer também em Iogurtes, “Spreads” para panificação, Cereais e Sorvetes.


Artigo de Autoria de Reynaldo Zani para a Rede Food Service





2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo